segunda-feira, 5 de dezembro de 2016

Formatura Curso Pastoral Catequética

No último dia 01 de dezembro, aconteceu na paróquia de N. S. de Fátima em Pendotiba, Niterói, a formatura do curso conhecido como CPC.
O CPC – Curso de Pastoral Catequética da arquidiocese de Niterói, tem sede em várias paróquias, e no nosso vicariato oceânico, a sede é na paróquia Palotina de N. S. de Fátima, e tem o Pe. Saulo, SAC, como coordenador.
O curso é especialmente para os fiéis que querem ser catequistas, e para todos que queiram se aprofundar no estudo da doutrina da igreja e na fé. Então estudam ao longo do Ano, módulos de Sagrada Escritura, Teologia Moral, Psicopedagogia, Sacramentos, etc. 
No dia 01 de dezembro, foi o encerramento das aulas de 2016, e foi celebrada a missa em ação de graças, pelo pe. Cristóvão Sopicki, SAC, pároco, que durante a homilia, falou de nossa preparação do tempo do Advento, e também deu o testemunho de quando foi catequista ainda no tempo de seminarista, e que até hoje, mantem contato com alguns dos seus catequizados.
Ao final da missa, aconteceu a entrega dos diplomas e certificados, e ainda uma confraternização no salão paroquial. 
O convite fica para todos que queiram se aprofundar nos estudos e conhecer ainda mais a igreja de Cristo, para se inscreveram no CPC de 2017, as aulas iniciarão em 02 de fevereiro de 2017. Podem ir na paróquia de N. S. de Fátima e participar.

terça-feira, 29 de novembro de 2016

Aparecida 300 Anos - Rota 300

Em vista das comemorações dos 300 anos de Aparecida, desde 2015, uma réplica da imagem, tem peregrinado pelas dioceses do Brasil.
O projeto foi lançado em 2015,  voltado principalmente para a participação dos jovens e vem movimentando as paróquias.



Nesta semana a imagem visitou as nossas paróquias palotinas de N.S de Fátima em Itaipuaçu – Maricá,  N.s de Fátima em Pendotiba e São Sebastião em Itaipu, ambas em Niterói.




Nossas paróquias se prepararam com muito amor e zelo para bem receber a imagem peregrina, rezar por nosso país, e por todos que necessitam das orações. Entrando no clima de comunhão, e já no ano jubilar de comemoração dos 300 anos de nossa Padroeira. 
Nossa Senhora Aparecida – Rogai por nós.

A viver o Advento na perspectiva da caridade com o necessitado

Estamos em um novo Ano na Liturgia! Estamos em um novo Tempo Litúrgico: estamos no tempo do Advento. É o tempo em que preparamos através de uma perspectiva de vigilância na espera D’Aquele que está para chegar: o Esperado das Nações, O Deus-Connosco, O Emanuel.
No Advento celebramos em um único rítimo ao modo sentinela; porém, preparamos para vivenciar dois momentos de forma simultânea! Da mesma medida em que buscamos a conscientizar a nossa vida em actualizar aquilo que aconteceu no meio da história da humanidade: quando Deus entra nos limites do nosso tempo cronológico e realiza o grande Mistério da Encarnação; ou seja, em que o Verbo (a Palavra Divina) Fez-se Carne e habitou entre nós. Estamos a falar do descrito momento em que houve a PRIMEIRA VINDA DO SENHOR; buscamos também neste mesmo Tempo de preparação a disciplina para mantermos a nossa vigília em aguardar O Mesmo (que veio pela primeira vez) e que virá em uma segunda Vez (a Volta do Filho do Homem, a ‘Parusía’).
Assim, no Advento cultiva-nos a estarmos atentos aos sinais dos tempos; a sermos sensíveis perante as cenas em que Jesus dizia em seus ensinamentos que: a tudo aquilo que fizestes (ou não fizestes) aos meus pequeninos, é a mim que fizeram (ou não fizeram). Portanto, o Advento proporciona aos fiéis a serem mais atentos na práctica da caridade em relação com os mais necessitados.
O desprendimento pelas coisas criadas (bens materiais, sentimentos, emoções...) provoca no interior humano uma reflexão de que o despojamento favorece com que o Cristo esteja mais visível em mim perante ao próximo; ou seja, quanto mais tiver desapego na vida de um fiel cristão, mais neste será visível o testemunho do Amor de Cristo Jesus; e quanto mais for eficaz este testemunho, mais despertará perante a face do mundo que: Deus age de forma deliberada, especialmente na virtude da humildade, da simplicidade de coração. E isto é mostrado claramente no episódio do Natal de Nosso Senhor Jesus Cristo: Ele despojou de toda sua riqueza e Glória para vir assumir a condição mais limitada entre as criaturas: a natureza humana!
Deus ao escolher a natureza humana, para manifestar o Seu Divino Rosto Misericordioso para com o mundo, quis mostrar que a Sua finalidade é: REVELAR A SUA INFINITUDE DIVINA NA FINITUDE HUMANA; sendo assim, aprendemos uma lição: nos pequenos, nos simples actos de generosidade, de caridade ao próximo (ao necessitado, por exemplo na vida social) revela a plenitude do Amor de Deus. Nisto, faz-se compreender os dois mandamentos em que o Senhor Jesus deixou-nos: Amar a Deus sobre todas as coisas e ao próximo como a si mesmo; pois só amamos Deus verdadeiramente se amarmos os nossos semelhantes através de atitude realmente concreta de amor e de caridade para com o outro.
Um Santo Advento para que bem haja um Santo Natal!      
Pe. Juliano Guilherme

sábado, 26 de novembro de 2016

OS JOVENS MISSIONÁRIOS A SERVIÇO DA VIDA!

Olá! Sou Pe. Juliano Guilherme SAC e estou a completar 10 meses como director espiritual dos jovens da cidade de Lisboa (capital portuguesa) bem empenhados a fazer acontecer missão através de um nobre movimento ao serviço à Vida.

Movimento Serviço à Vida (M.S.V.)

Miguel Meneses, Jovem universitário e missionário da Missão País cá em Portugal ( e do qual faz parte também  do MOVIMENTO SERVIÇO À VIDA), - convidou  ao Pe. Juliano Guilherme, SAC  há quase um ano, para conhecer o grupo missionário do Movimento Serviço à Vida; e, começou também a agarrar está linda causa missionária; acompanhando os jovens missionários do M.S.V.  através de uma direcção espiritual mensal.

A estrutura formativa dos jovens em missão

A estrutura de formação dos novos missionários é realizada através de um calendário anual donde quinzenalmente em cada mês é intercalado com um momento espiritual, com orações e textos direcionados a manter a disponibilidade, a perseverança e o propósito de estar ao serviço da vida daqueles mais necessitados em nossas periferias sociais e principalmente existenciais; e o outro momento é o de conferências de temas da actualidade que alinham os jovens missionários a estarem bem afincos com a realidade do mundo presente; há momentos de actividade práctica como dinâmicas ao ar livre, ou seja, que são realizadas fora da sala das reuniões, a fim dos missionários obterem dos contextos, uma percepção da realidade, e poder perceber os grandes desafios que contém em nossas sociedades; pois Deus sempre emite sinais de esperança no meio das grandes agitações do dia-a-dia (as reuniões de encontros, normalmente dão-se na grande cidade, capital: Lisboa, Portugal).
Missão mensal na Região do Algarve, Sul de Portugal.
E em cada final de mês os jovens ingressam na parte propriamente missionária: vão à Alcoutim (será citado detalhes a seguir o texto); viajam durante 4 horas até a esta cidade da qual pertence a região do Algarve, este-sul do país e que faz  fronteira com o território da Espanha. Tal cidade, é cuidadosamente bem acompanhada pelos membros da MSV há anos, devido a uma pesquisa que revelava a ter um alto nível elevado de pessoas que atentam contra a própria vida; eis porque é uma cidade tão especial aos olhos dos jovens missionários do Movimento Serviço à Vida! E no final do Ano pastoral, é realizado um retiro espiritual com os membros da MSV local, alimentando a espiritualidade missionária com reflexões e momentos de silêncio e depois partilhas, terminando com a celebração da Eucaristia do qual encerra o retiro e, ao mesmo tempo, são enviados para a próxima missão que se segue.

Proposta missionária

Por fim, a proposta missionária que há no calendário final do ano pastoral europeu é o projecto verão que se realiza no meado do mês de junho a julho. Deste ano pastoral, com a graça de Deus, há uma possível realização missionária fora de Portugal: o objectivo é ir em missão ao Amazonas, Brasil. Mais uma grande realidade desafiadora que farão crescer o espírito missionário de nossos jovens para o serviço à Vida! Rezemos por eles, que querem abraçar com insistência a causa do Evangelho, para que eles tenham sempre a providência da Luz divina a serem Luz e Sal (sabor) da terra!

O cronograma histórico do MOVIMENTO SERVIÇO À VIDA (MSV)
  • ·         O MSV nasceu em 1991, quando um grupo de seis rapazes e raparigas, que faziam voluntariado no Bairro da Fonte da Prata, na Moita (Distrito de Setúbal, região de Lisboa e sub-região da Península de Setúbal, Portugal); decidiram lançar-se numa iniciativa que, procurando ir ao encontro de situações extremas de pobreza humana e espiritual, passaria pela entrega das férias de verão ao serviço dos mais necessitados nas favelas de Barreiras, no Nordeste do Brasil.
  • ·         Em 1996, este trabalho voluntário nas férias de verão estendeu-se também à cidade de Montes Claros, no Estado de Minas Gerais, junto de uma comunidade de Irmãs Escravas do Sagrado Coração de Jesus.
  • ·         A pedido do pároco de ALCOUTIM, surgiu o primeiro projeto em Portugal, que pretendia ir ao encontro e acompanhar as pessoas que vivem situações de grande isolamento nos "montes" do Concelho de Alcoutim. Depois de uma experiência de 1 mês no verão de 1997, passou a haver um grupo de voluntários que, até aos dias de hoje, se desloca mensalmente a Alcoutim, durante um fim-de-semana, para estar ao serviço da população local, em especial das pessoas com idade mais avançada.
  • ·         Em 1998 tivemos pela primeira vez um projecto de voluntariado de longa duração (1 ano), em Barreiras, que possibilitou a implementação de alguns projetos de raiz, como os "Cata-Vento IV e V" (Centros de Dia para crianças de favelas) e o "Dignivida" (centro de prevenção e apoio a doentes infetados com SIDA).
  • ·         Neste período, com o crescimento do seu grupo de voluntários, o MSV estendeu a sua actividade a novos projectos: o trabalho com jovens carenciados do Pragal (Almada), em parceria com a comunidade jesuíta local; o apoio a um lar de crianças em perigo no Gradil (Mafra); e o acompanhamento regular de idosos que vivem sós nos prédios da Baixa de Lisboa.
  • ·         Paralelamente, entre os membros mais antigos do MSV surgiram os Grupos de Vida, pequenas comunidades de oração que se reúnem quinzenalmente para rezar e debater questões da sua fé.
  • ·         Em 2003, surgiu o primeiro desafio para um projeto profissional. A Câmara Municipal de Lisboa pediu ao MSV que criasse uma equipa de rua para o acompanhamento das pessoas sem-abrigo e pedintes da Baixa de Lisboa. Assim nasceu o Projeto Sentidos, que trabalha em articulação com as restantes instituições da cidade de Lisboa e tem assumido um papel ativo na delineação das políticas locais para esta população beneficiária.
  • ·         Em 2005, a presença de voluntários de longa duração em Montes Claros possibilitou a criação do Projeto Aquarela, em parceria com as Irmãs Escravas do Sagrado Coração de Jesus, no bairro de Santa Rafaela. O Aquarela acolhe diariamente 80 crianças de 4 bairros carenciados.
  • ·         Confrontado com a realidade de muitas crianças vítimas de maus-tratos e com a escassez de estruturas adequadas para dar uma resposta positiva a estas situações, o MSV decidiu avançar com o Projeto Casa das Cores, um Centro de Acolhimento Temporário para crianças em perigo iminente. A Câmara Municipal de Lisboa cedeu um edifício na Bela Vista, em Lisboa, que foi depois reabilitado graças a uma parceria com a Swatch – o projeto Swatch Mundo Perfeito, que envolveu o apoio de várias entidades. Depois de celebrado o acordo de cooperação com a Segurança Social, a Casa das Cores abriu as suas portas às primeiras crianças em maio de 2009.

  • Com 20 anos de vida celebrados em 2011, o Movimento ao Serviço da Vida é hoje:

  • ·         um movimento de católicos que querem viver a sua fé e o serviço à vida no dia-a-dia, dando testemunho no lugar onde cada um vive;
  • ·         uma instituição particular de solidariedade social (IPSS), que nos seus atuais projetos está ao serviço das crianças e jovens em perigo, das pessoas sem abrigo e das pessoas com idade mais avançada;
  • ·         uma associação, que promove a dignidade da vida, em toda e qualquer circunstância e sem exceção alguma, com os devidos órgãos estatutários (Assembleia Geral, Direção e Conselho Fiscal).

quarta-feira, 23 de novembro de 2016

A Missão País

SOMOS MISSIONÁRIOS UNIVERSITARIOS: FAZEMOS MISSÃO PAÍS
Missão País é um projeto católico de universitários. Tem como objectivo levar Jesus às Universidades e evangelizar Portugal através do testemunho da fé, do serviço e da caridade.

O Pe. Juliano Guilherme SAC foi apontado há um ano - como director espiritual para acompanhar e viver esta belíssima Missão,- por uns  jovens estudantes da Faculdade ESTESL ( Escola Superior De Tecnologia Da Saúde De Lisboa - Universidade em Lisboa, Portugal).


Segundo esta agradabilíssima missão alinhada com a juventude de Lisboa, foi incrível pois somos instrumentos de Deus de levar a alegria às pessoas que estão distantes das cidades grandes, movimentadas e barulhentas; mas o melhor de tudo, é que a Evangelização é realizada sem precisar de dotes de fala, de conhecimentos acadêmicos; basta simplesmente a sua presença, ser totalmente ouvido para as pessoas que encontram e encontrarão connosco.


O tema da Missão País de 2016 foi: “ALEGRA-TE FOSTE ENCONTRADO!” ou seja, o objectivo da Missão País é irmos ao encontro das pessoas, conhecer pessoas e conforme abertura, consolá-los diante de seus históricos de vida; portanto, visitamos às famílias batendo em porta em porta (chamado a equipa da “porta a porta”), visitamos os lares dos idosos, vistamos as escolas, creches e outros lugares , como pessoas reunidas no Café, na Bombas de combustíveis, nos supermercados ...enfim.



O período de missão dá-se dentro de uma semana normalmente na altura de fevereiro; há momentos de dinâmicas, de orações aos missionários jovens chamados de momentos de missão interna (são as formações espirituais imediatas para partimos em missão externa, a missão propriamente dita. E ao aproximar do final da semana de Missão, é realizado um belo momento de confraternização com as pessoas, com as famílias que foram visitadas pelos jovens estudantes missionários aos longos dos dias. É simplesmente incrível a experiência! E este ano estamos a aguardar o próximo tema anual que será apresentado dentro de alguns dias. Todos nós jovens missionários estamos ansiosamente à espera! Abaixo veremos informações da estrutura geral da Nossa Missão País.
Abaixo veremos informações da estrutura geral da Nossa Missão País.



A Missão País é um projecto católico que organiza e desenvolve as Missões Universitárias em várias faculdades de Portugal, de Braga a Beja passando pelo Porto, Lisboa e Coimbra. As Missões são semanas de apostolado e de acção social intensivos que decorrem entre o 1º e o 2º semestre.
Todos os anos, milhares de jovens partem em Missão para testemunhar a fé em Jesus e mostrar como ela se vive através da caridade e do serviço.



Todos os que vivem esta alegria em Cristo são chamados a missionar e contagiar corações! E, para isso, não é preciso ir para longe, para os confins do Mundo. Podemos e devemos missionar aqui no nosso país (Portugal), que tanto precisa de nós para continuar a:
“Inspirar gerações que vivam a Fé Católica em Missão”!



Este projecto nasceu duma dupla vontade dos estudantes:

1. A de entregar parte do seu tempo à missão;
2. A de ter na sua faculdade algo que os aproximasse de Deus.
Sendo o seu local de estudo o sítio onde passavam uma grande parte do seu tempo, sentiam a necessidade de aí poderem falar sobre Jesus.

Assim, seguindo o exemplo da Grande Missionária - Nossa Senhora - deixam tudo e partem com Cristo por Portugal fora. À primeira vista, poderá não ser claro como uma semana de missão poderia satisfazer tal desejo.
No entanto, durante a semana de missão, o grupo e a amizade aí criados dão frutos no dia-a-dia da faculdade.


Os missionários partem em grupos de cerca de 50 da sua faculdade. A semana de missão está dividida em três partes complementares: missão externa, missão interna e missão pessoal.

Missão Externa
Os missionários dividem-se em grupos mais pequenos – comunidades – e fazem-se à estrada!
Põem-se ao serviço em diversas instituições (lares, hospitais, escolas, ATL’s, Santa Casa da Misericórdia, entre outros).
Vão também “porta-a-porta”, em pequenos grupos, visitar casas de pessoas com o intuito de evangelizar, ajudar as pessoas nas suas tarefas diárias ou simplesmente fazer companhia!
O culminar da semana dá-se com duas actividades abertas à população: um teatro, representado pelos missionários, e uma vigília de oração.
Missão Interna
Nesta semana, os universitários procuram viver a equação: missão = voluntariado + oração.
Assim, além do serviço aos outros, a oração é também um ponto fundamental! A espiritualidade das missões é guiada por um lema anual que tem como objectivo refletir a situação atual do mundo e do país.
Os missionários encontram-se com Jesus na missa diária. Todos os dias é lançado um tema relacionado com o lema, sobre o qual os missionários são desafiados a reflectir nas orações da manhã e da noite.
Missão Pessoal
A missão pessoal consiste na aprendizagem que cada um faz durante a semana de missões e que traz consigo para o dia-a-dia. A experiência de ser instrumento nas mãos de Deus, provoca um conjunto de pequenas transformações interiores, que devem ser apreendidas por cada um. Os momentos de oração individual e de partilha são fundamentais para cultivar a missão pessoal.
Enquanto missionários, somos chamados a viver estas três missões de forma plena. É transformador para a nossa vida fazê-lo verdadeiramente.


A Missão País inspira porque transforma a vida das pessoas, não só dos missionados como dos Missionários. Ao deixar-nos surpreender por Deus, experimentamos verdadeiras mudanças e conversões interiores.
As diferentes gerações da Missão País vivem uma experiência real de comunhão entre os diferentes carismas da Igreja. Os diferentes movimentos e espiritualidades aprendem a conhecer-se, a valorizar-se e a trabalhar juntos para o mesmo fim.
A Missão País prepara-nos para a viver a Fé de uma forma mais comprometida no dia-a-dia. Em cada semana de missão cada um vive já o que significa comprometer-se verdadeiramente a partir da Fé.
A Missão País, como projecto católico, tem a sua fonte no encontro pessoal com Deus. Os momentos de oração na capela de cada missão são o lugar onde Deus nos envia e nos recebe todos os dias.
A Missão País desafia-nos a viver em estado permanente de Missão através da entrega e serviço aos outros. Durante a semana de missões temos as condições ideais para aprender a viver o mandamento de Jesus. Sem amor ao próximo, não há Missão.
Isto é Missão País! por isso junto com os jovens universitários, realizamos aquilo que o São João Paulo II dizia: "a Igreja será Jovem quando o Jovem for Igreja".