quinta-feira, 31 de maio de 2012

Pe. Jeremias Murphy SAC reeleito Presidente da UAC

A novo Conselho de Coordenação Geral da União do Apostolado Católico teve sua primeira reunião anual em Roma nos dias 24 a 28 maio de 2012,na Casa Geral das Irmãs do Apostolado Católico.
Sábado, 26 de maio, no dia da festa da nossa padroeira, Maria Rainha dos Apóstolos, o Conselho reelegeu Pe. Jeremias Murphy SAC como Presidente e Irmã Adelheid Scheloske SAC foi reeleita como Vice-Presidente. A reeleição de Pe. Murphy foi confirmada ontem à tarde pelo Conselho Pontifício para os Leigos, como é exigido pelos nossos Estatutos Gerais (St. G. 82 § 2). Neste Ano Jubilar da canonização de São Vicente, pedimos a bênção de Deus, especialmente para Pe. Jeremias e Ir. Adelheid e todos os membros do CCG, de modo que, guiada pelo Espírito Santo trabalham juntos de forma produtiva, trabalhando como guias  fiéis na dinâmica para a edificação do reino de Cristo na terra, ajudando cada um de nós a responder a todos as oportunidades e desafios que enfrentamos com fé e amor, com coragem, criatividade e entusiasmo. Sinceros agradecimentos e toda bênção para Corrado Montaldo, que desempenhou o papel de vice-presidente nos últimos três anos, com grande amor,devoção e sabedoria.

Belém - Maio de 2012, nº 70

Da esquerda para a direita: Ir. Iwona, Ir. Adelésia, Pe. John Bosco, Ir. Jyothi, Ir. Martha, Ir. Sahaya, Pe. Krzysztof, Ir. Seetha, Ir. Claudynéa, Ir. Rini, Ir. Clara, Ir. Tensy, Pe. Jacob (Rettore Generale), Ir. Consolee, Ir. Steve, Ir. Beena, Pe. Prakash.
Não estão na foto: Pe. Maurice, Pe. Kiran.

Estamos chegando ao fim do segundo Curso Anual para os Formadores e Formadoras palotinos, no Cenáculo da Via Ferrari – Roma. Três deles gostariam de partilhar suas experiências ocorridas durante este período.

“Nosso Fundador, São Vicente Pallotti, nos diz que devemos ser impulsionados pelo Espírito do amor de Deus. Isto foi possível experimentar este ano, no Centro de Formação Palotino – “O Cenáculo”. Agradeço de coração os coordenadores gerais por esta oportunidade. O curso procurou focalizar as diversas dimensões da formação, tais como: espiritual, psicológica, antropológica, social e cultural. Esse curso nos deu uma boa base para que, ao retornarmos às nossas comunidades, possamos ser formadores capacitados para atuarmos nas nossas casas de formação. Aprendi muita coisa neste mundo multicultural, principalmente, que devemos formar para a colaboração. O grupo de colaboradores que nos orientaram era formado por sacerdotes, irmãs, irmãos e leigos. As suas orientações nos abriram para novos horizontes e, principalmente, para vivermos e sentirmos como palotinos e palotinas de maneira mais plena”.
Pe. Kiran

“O Curso de Espiritualidade Palotina de 2011 a 2012 foi composto por um grupo de dezoito participantes da União do Apostolado Católico, provenientes de diversos países. O grupo demonstrou sempre muito entusiasmo. Os professores e os responsáveis pela formação, durante este tempo, proporcionaram ao grupo, maior crescimento espiritual e também ensinaram a explorar mais a espiritualidade do Santo Fundador, Vicente Pallotti. Os participantes puderam entrar mais profundamente nos tesouros espirituais do fundador e isto ajuda no crescimento do espírito da comunhão fraterna. A cada dia que passa, fica mais claro entre nós a verdadeira comunhão de amor, por meio das relações recíprocas, na partilha da paixão pela nova evangelização, sob as pegadas de Pallotti e da Igreja. Pela misericórdia de Deus, estamos caminhando com o desejo de ser a UAC que o nosso fundador sonhou para santificar a Igreja, as famílias, o clero e o mundo inteiro e, assim, conduzi-los todos a Deus. Fico feliz por fazer meu, os desejos do fundador e espero que torne o mais rapidamente possível o nosso desejo, para que todos sejam salvos e se possa multiplicar infinitamente a glória de Deus. Deixo o meu agradecimento, de coração, aos superiores por nos ter proporcionado tão grande oportunidade”.
 Ir. Tensy

“Para mim, vir à Roma para frequentar o Curso Anual de Formação sobre a espiritualidade palotina foi realmente a realização de um desejo e um sonho que tinha, há muito tempo, dentro de mim. Quando li o primeiro livro sobre São Vicente Pallotti, era ainda adolescente. Isto suscitou em mim o grande desejo de conhecer, pessoalmente, os locais onde o santo viveu e desenvolveu seu apostolado. Assim, quando recebi o convite do governo provincial, foi para mim uma grande alegria, um presente e a realização de um sonho. Não tenho palavras para descrever tudo aquilo que vivi, conheci e aprendi nesses meses, mas posso dizer que foi, realmente, maravilhoso. Foi um tempo de graça que recebi de Deus. Mediante os conteúdos desenvolvidos por cada um dos professores, na sua especificidade, aprendi a amar ainda mais a nossa Família Palotina. Pude fazer uma revisão de vida e assim retomar com mais coragem a minha consagração religiosa. Visitar e conhecer os locais onde Pallotti viveu foi a oportunidade de experimentar e sentir bem de perto, como se ele mesmo estivesse ali presente. Abriu-se a minha mente e o meu coração para outras realidades e culturas, e tomei consciência de que ser Palotina significa ter a capacidade de amar e levar o amor de Deus ao mundo inteiro, por meio do nosso apostolado. Aprendi que é possível viver a fraternidade e a comunhão na diversidade das línguas, raças e culturas. Que Deus seja infinitamente glorificado por me ter dado esta grande graça”.
Ir. Adelésia

Este ano foi muito frutuoso para a comunidade Palotina. Esse curso foi uma belíssima oportunidade para a formação permanente cristã e Palotina.
Caros leitores de “Belém”, por que não aproveitarmos deste dom?
Ir. Stephen Buckley, SAC

terça-feira, 29 de maio de 2012

25 ANOS DE SACERDÓCIO DO PADRE CASEMIRO PAC SAC


No dia 26 de maio a comunidade paroquial de Itaipu fez sua homenagem ao Pe. Casimiro  Pac SAC, pela comemoração dos seus 25 anos de sacerdócio no dia 09/05.
Na parte da manhã foi preparado um churrasco para um almoço festivo que contou com a presença de 10 padres palotinos e diocesanos e ainda o Arcebispo Emérito de Niterói, Dom Alano Maria e o atual Arcebispo Dom José Francisco.
A noite toda a comunidade se reuniu para a Missa e depois para a festinha organizada pelos próprios leigos da Paróquia e com grande empenho do Pe. Juliano Guilherme, nosso vigário.
A festa foi preparada em segredo sendo assim para o Pe. Casimiro uma grande surpresa.
Foi muito emocionante e bonito, houve apresentação do coral “Contas de Coral”, uma apresentação de slides contando toda a caminhada vocacional, e uma homenagem que foi lida na qual segue abaixo. Após as Homenagens o Pe. Casimiro pronunciou um agradecimento emocionado, dizendo-se muito feliz.

Niterói, 26 de maio de 2012
25 ANOS DE SACERDÓCIO DO PADRE CASEMIRO PAC SAC

Revmo Pe.Juliano
Caríssimos Diáconos Marcos, Waldir e Nilson.
Queridos irmãos e irmãs

E Por último! Não por ser o de menos importância, mas simplesmente, por ser o grande homenageado da noite, nosso querido amigo.......:  Revmo. Pe. Casemiro!.

Em nome de toda a comunidade de São Sebastião de Itaipu, venho externar toda a alegria e satisfação, de comemorarmos juntos esta data jubilar e de imenso significado para você Pe. Casemiro, bem como, para toda a família paroquial aqui reunida.
(Meus caros Irmãos!) O Pe. Casemiro chegou a nossa comunidade no ano de 2001, egresso de Itaperuna - RJ.,  ainda como vigário, muito embora de nacionalidade polonesa,  já apresentava à época  um português de bom nível, contudo, muito acelerado, falava muito rápido e de forma gesticulada. Tal rapidez nos trazia uma mensagem muito clara, qual seja: “gosto de trabalho, vim para trabalhar e não posso perder tempo”, este era  e ainda é o nosso Padre Casemiro.



Um homem de trato simples e de espírito empreendedor, bom administrador, conciliador, reto, amigo de sua comunidade e com uma forte preocupação social pelos mais necessitados.

Um construtor, um edificador.

Edificador não só de templos de concreto e alvenaria, mas principalmente, de uma comunidade amiga, unida, irmanada e com disposição ao trabalho na obra salvífica de Nosso Senhor Jesus Cristo, o que por deveras, mantém a paróquia viva e ativa.

As obras e construções geridas pelo Pe. Casemiro em nossa região,  de Piratininga até Itaipuaçu, multiplicaram-se ao longo desses onze anos. O legado desse trabalho é uma  realidade que aflora a olhos vistos, haja vista que, essas comunidades multiplicaram-se em números avassaladores de fiéis, os quais convergem e lotam esses templos, missa após missa, em busca  dos  ensinamentos e da palavra salvadora de Cristo.

Pároco de São Sebastião de Itaipu, que em sua trajetória foi membro do Conselho dos Presbíteros e hoje exerce o múnus de Vigário Episcopal, do nosso Vicariato Oceânico.

Um sacerdote atento e aberto às realidades de uma Igreja que caminha no mundo e caminha com ela. Sempre disposto a superar barreiras com uma força libertadora e, assim, levar luz às almas mais carentes e necessitadas.

Um homem de muitos talentos dados por Deus e que a todo tempo, os coloca a serviço da Igreja.

Parabéns Pe. Casemiro!  A comunidade de São Sebastião de Itaipu regozija-se de alegria em poder participar desta data festiva e, também, de poder parabenizá-lo por seus vinte e cinco anos de sacerdócio.

Parabéns querido amigo por seu jubileu de prata!

E que o Sr. Deus continue lhe abençoando e lhe dando forças para continuar essa jornada.
Obrigado!
 Antônio Luiz

segunda-feira, 28 de maio de 2012

Visita oficial à Região "Mãe de Misericórdia"


A visita oficial à Região "Mãe de Misericórdia", Rio de Janeiro, Brasil,foi feita por Pe. Jacob Nampudakam Reitor Geral e do Procurador Geral, Pe. Vitaliy Gorbatykh nos dias de 21 de abril a 12 de maio de 2012.


Esta região,foi criada no dia 22 de janeiro de 2002, é composta por 42 membros.

A visita começou com uma missa presidida pelo Reitor Geral na casa do postulantado em Guapimirim, durante a reunião Regional da União do Apostolado Católico, onde cinco novos membros fizeram empenho na UAC. A Região "Mãe de Misericórdia" é essencialmente composta por 15 paróquias no Brasil e 2 em Portugal.  Atualmente, existem cinco alunos no postulantado em Guapimirim e 10 estudantes de filosofia e teologia no Rio de Janeiro, então podemos dizer que é uma entidade em crescimento de nossa Sociedade. As duas paróquias na Amazônia, em Manaus e Novo Airão estão engajadas em atividades apostólicas e missionárias, que não são sempre fáceis.


Uma característica comum em todas as paróquias da Região é a participação ativa dos leigos. Outro aspecto digno de louvor é que todos os nossos seminaristas são apoiados financeiramente pelos leigos das nossas paróquias, alguns dos quais também são membros da UAC. Com mais animação e coordenação dos Palotinos,poderia haver um grande crescimento na União nas paróquias, porque as pessoas são muito cooperativas, generosos e receptivos. É sem dúvida uma Região com grande potencial de crescimento em número de membros e qualidade de vida palotina.

Festa do Divino Espírito Santo Vale do Forno


Celebramos nos dias 26 e 27 de Maio a festividade do Divino Espírito Santo, Padroeiro da comunidade – Vale do Forno, Odivelas.
O Espírito Santo, a terceira Pessoa da Trindade, age verdadeiramente como o Confortador e Consolador. Ele inspira-nos, a tomar decisões de acordo com a vontade Divina (1 Cor. 12, 7-11).


Para nós, comunidade Paroquial, é uma festa que pretende lembrar a última festividade da Páscoa.
As celebrações tiveram início pelas 21 horas do dia 26 de Maio com uma Procissão pelas ruas do bairro, que contou com a presença e participação de todos os núcleos da Paróquia a fim de celebramos em unidade e em espírito de oração e grande alegria.



Terminada a celebração, tivemos de seguida a vigília de oração orientada pelo grupo de Oração Ruah que foi bonita e tocante. Encerramos esta noite com um chá-convívio.



No Domingo dia 27, foi celebrada uma Missa solene às 11horas presidida pelo nosso Prior Pe. Jan Pietrus SAC, que contou com grande influência da comunidade paroquial, seguindo-se um almoço de confraternização onde reinou a boa disposição e muita alegria. 


A quermesse, preparada por alguns membros da comunidade que muito entusiasmou os participantes, a curiosidade de se desenrolar os papelinhos para ver a surpresa dos prémios, a animação musical e recreação feita pelos nossos Vicentinos e as crianças da catequese, foram momentos altos desta festa.
Que o Espírito Santo derrame os Seus Dons sobre nós, que nos ilumine e nos faça crescer cada vez mais na fé e no amor a Ele!
Cremilde Ramos

domingo, 27 de maio de 2012

Vigília em honra de Nossa Senhora Rainha dos Apóstolos


Na Sexta-Feira, dia 25 de maio, na Igreja de São Sebastião em Itaipu, a comunidade e os membros da UAC da paróquia, organizaram a vigília do dia de Nossa Senhora Rainha dos Apóstolos.
Reunidos na igreja, a vigília começou com a Santa Missa Celebrada por nosso Pároco, Pe. Casimiro e concelebrada por nosso vigário paroquial Pe. Juliano.
Ao final da missa foi exposto o Santíssimo Sacramento e a adoração aconteceu até meia noite. Durante a adoração foram feitas várias orações, cânticos, lembrando o clima do Cenáculo.
Em comunhão com toda a família palotina também lembrando o ano jubilar de Canonização do nosso fundador São Vicente Pallotti.
Foi um momento de grande oração e reflexão. Ao final tivemos a benção do Santíssimo encerrando a noite.

sexta-feira, 25 de maio de 2012

Os desafios da vida religiosa na nova evangelização


Enquanto nos aproximamos da Assembléia Especial do Sínodo dos Bispos para a nova evangelização do mês de outubro, tentamos entender qual deve ser a resposta da vida religiosa a este apelo de Bento XVI .
Continuando a série de entrevistas com os superiores gerais das ordens religiosas, ZENIT conheceu o sacerdote indiano Nampudakam Jacob, diretor-geral dos Palotinos, congregação fundada em 1835 por São Vicente Pallotti.
***
Como você acolheu o apelo do Papa Bento XVI para a nova evangelização?
Pe. Nampudakam: Este apelo é muito importante para nós Palotinos. É um argumento, de fato, ligado ao nosso carisma, dado que o nosso santo fundador quis construir uma Igreja em comunhão com a participação de todos os fiéis, religiosos, sacerdotes, leigos como apóstolos de Cristo.
Como a fé deve ser apresentada ao homem moderno?
Pe. Nampudakam: É importante voltar ao Evangelho e viver com mais autenticidade a mensagem de Jesus. A nova evangelização não é apenas uma série de palestras ou livros, mas implica retornar ao espírito do Evangelho: não podemos mudar nada. Por isso acredito que devemos apresentar a Deus como Ele é.
O Papa diz que Deus é o "grande desconhecido" na sociedade de hoje ...
Pe. Nampudakam: Na minha limitada experiência, posso dizer que no profundo do coração sempre está o desejo de Deus. Especialmente entre os jovens - que parecem desinteressados ​​e confusos - eu encontrei, quando confesso, sinceridade no coração e honestidade. O homem não pode viver sem Deus, pode negá-lo por um certo tempo e criar uma ilusão de grandeza e de imortalidade, mas acho que, no final, Deus é uma escolha existencial.
O que poderia mudar na vida religiosa para responder a este desafio da nova evangelização?
Pe. Nampudakam: Para todos, tanto religiosos como leigos, a maior tentação é a do materialismo. O Materialismo cria a ilusão de ser onipotente, portanto, uma experiência de pobreza, tanto material como espiritual, é muito importante. Acho que para os mais jovens, então, é importante a experiência das missões, porque ver crianças que não tem nada, toca os nossos corações e muda a atitude perante a vida.
O que funciona melhor no Oriente ou na África na estratégia pastoral, e que o Ocidente poderia aprender?
Pe. Nampudakam: Por exemplo, na Índia, uma estratégia missionária muito eficaz foi a de Madre Teresa. Ela não teve dificuldade em professar a fé católica e todos aceitaram isso. Portanto, professar honestamente a nossa fé é uma coisa importante; ao mesmo tempo devem ser respeitadas as outras religiões. Outro ponto é que o homem deve se tornar o centro do diálogo, porque onde não há humanidade e respeito da pessoa, tenho dificuldade em pensar que haja uma verdadeira religião.
Como está a sua congregação no mundo? A distribuição, as vocações, etc ...
Pe. Nampudakam: Somos 2.500 sacerdotes e irmãos em 43 países. O maior crescimento, hoje, está na Índia, e estamos chegando a países asiáticos como Taiwan, Filipinas, e talvez, no futuro, também no Vietnã ou na Camboja. Estamos trabalhando, então, em uma dúzia de países africanos; ali há uma grande oportunidade. Também na América do Sul está muito bom, especialmente no Brasil. No mundo europeu a situação não é das melhores, mas é muito interessante porque temos alguns jovens, além da Alemanha, como tinha dito, também na Irlanda.
O que dizem estes jovens postulantes? Por que deixaram para trás o mundo?
Pe. Nampudakam: Me disseram que foi pela hospitalidade que encontraram por meio dos nossos pastores e pela abertura aos leigos, que é parte do nosso carisma. São Vicente Pallotti, de fato, sempre quis criar uma comunidade com uma forte participação dos leigos. E acho que também a Igreja deve ser assim, porque o 90% da Igreja de hoje é composta por leigos, que não deveriam ser meros espectadores.
Existem causas de canonização entre os Palotinos?
Pe. Nampudakam: Há cerca de 20 casos. Temos dois beatos na Polônia, sacerdotes Stanek e Józef Jankowski, mártires assassinados na Segunda Guerra Mundial, juntamente com alguns outros poloneses e alemães. Existem também alguns mártires irlandeses e argentinos, mortos durante a ditadura na Argentina.
Em conclusão, qual mensagem gostaria de enviar para a família dos Palotinos no mundo?
 Pe. Nampudakam: Minha mensagem é para voltar ao espírito do Evangelho e seguir a Jesus como modelo exemplar de vida e de perfeição cristã. É necessário voltar a uma profunda decisão: fazer obras diversas, mas todas em nome de Cristo e do seu reino. A Igreja é nossa e nós estamos a serviço da única Igreja de Cristo.
[Tradução Thácio Siqueira]