terça-feira, 26 de junho de 2012

Pedido de oração pela paz na República Democrática do Congo

~O que se segue é uma descrição da situação de guerra e violência no leste da República Democrática do Congo, onde trabalham os sacerdotes, irmãos e irmãs palotinos. Nestes tempos difíceis, queremos garantir nossa solidariedade e nosso apoio em oração com nossos irmãos e irmãs da família palotina e aqueles afetados por esta terrível situação.
Respondendo ao pedido de Pe. Romuald Uzabumwana peço a todos os membros da família palotina a orar particularmente à nossa Mãe do Céu, Rainha da Paz, para uma paz duradoura e prosperidade nesta terra. Esta é uma intenção permanentemente à sua oração pessoal e comunitária.
Pe. Jacob Nampudakam, SAC
Reitor Geral


Pedido de oração pela paz na República Democrática do Congo

Queridos irmãos e irmãs, amigos e colaboradores, a paz para você.
Durante vários meses, o leste da República Democrática do Congo tornou-se mais uma vez a cena de conflito armado, com suas inevitáveisconsequências: morte e aumento de refugiados dentro e fora do país.
Como as pessoas consagradas para servir a Deus e seu povo nesta região dos Grandes Lagos, somos convidados a ajudar com a oração, porque a paz verdadeira só vem de Deus. No que se segue quero compartilhar com vocês o que vi durante minha última visita (de 20 a 21 de Junho de 2012) com seus irmãos e irmãs da família palotina que trabalham na República Democrática do Congo.
1.      Na fronteira entre a República Democrática do Congo e Ruanda, refugiados ruandeses e congoleses estão se mudando para Ruanda;eles formam- se em pequenos grupos e na sua maioria são mulheres e crianças.Desde o início do conflito no Congo, milhares de refugiados chegaram a Ruanda.
2.      Na cidade de Goma, a situação é bastante tranquila e as pessoas fazem suas atividades diárias, como de costume.
3.      Na estrada entre Goma e paróquia em Rutshuru, não há problemas, existem lá muitos soldados do governo e da ONU. As tropas da ONU trouxeram alguns tanques. É incrível.
4.      Na paróquia de Rutshuru, onde trabalham os nossos coirmãos palotinos, a situação é calma. Mas há mais de um milhão de refugiados de guerra, a maioria veio de Jomba; eles usam a noite as salas de aula do ensino fundamental e do catecumenato para dormir. Algumas famílias se organizam para trazer comida; o mesmo acontece com a Cáritas, Caritas Palotina está sendo organizada para agir de acordo com suas possibilidades.
5.      Em Ntamugenda, onde tem o hospital das Irmãs dos Anjos, a situação é trágica, porque há mais de 14.000 pessoas deslocadas com forte presença das tropas da ONU e do governo. Os refugiados chegam principalmente de Jomba e à noite os habitantes de Ntamugenda, que tentam fugir o e roubo estão se refugiando no hospital. É uma situação triste de ver. Existem alguns casos de aborto espontâneo entre as mulheres, assustadas com o bombardeamento e o uso de armas pesadas. Se a situação continuar, há o risco de uma catástrofe humanitária: falta de comida, sem água potável, sem banheiros, etc.
6.      Diante desta situação confusa, você nunca sabe o que pode acontecer a qualquer momento. As Irmãs de São José de Gerona deixaram temporariamente Rubare, onde eles estavam trabalhando em um centro de saúde e das Irmãs dos Anjos deixaram Ntamugenda e veiam para Rutshuru em Ntamugenda estão continuando a trabalhar durante o dia.
7.      Pessoalmente, admiro a coragem e a fé dos coirmãos palotinos, e Irmãs Palotinas e outros missionários que decidiram não abandonaras pessoas nestes tempos difíceis na República Democrática do Congo.
8.      Faço um apelo a todas as pessoas de boa vontade para orar e ajudar-nos a ajudar os refugiados de guerra que estão em nossa paróquia em Rutshuru e no hospital Ntamugenda.
Como você pode ver, a situação é confusa, especialmente por causa da presença maciça de soldados e a população continua a sofrer em tudo. Orem juntos ao Príncipe da Paz, que Ele mude os nossos corações e os corações daqueles que estão diretamente envolvidos neste conflito e conceder paz a este país. Deus te abençoe.
Kigali, 22 de junho de 2012
Pe. Romuald Uzabumwana, SAC
Regional Reitor, Região Sagrada Família, Ruanda

Nenhum comentário: